segunda-feira, janeiro 24, 2011

e a partir de agora, só aqui alifemadeinpaper.com .

sexta-feira, novembro 13, 2009

um luxo...


...demorar 12 minutos do trabalho até casa e chegar ainda antes das 16h30. Um verdadeiro luxo.

quarta-feira, novembro 11, 2009

6 meses e 2 dentes?

De manhã nada e de repente... 2 dentes?

6 meses hoje

Para mim 6+9.

6 meses de alegrias, conquistas, conhecimento, descobertas, tudo vivido com a intensidade da novidade do 1º, de querer memorizar tudo para mais tarde e aproveitar ao máximo cada segundo destes 6 meses. Tão bom.

terça-feira, outubro 20, 2009

em jeito de balanço

Sobre a maternidade, a gravidez e os bébés todos têm qualquer coisa a dizer. É fantástico, todos têm opinião sobre os sintomas e todos acham que devem dizer tudo o que lhes vem à cabeça, mesmo que sobre outros assuntos não o fizessem sem lhes pedirem opinião.

Seria exaustivo escrever todas as coisas que me disseram sobre estes assuntos e às quais apenas respondi 'obrigado', para não dar umas resposta mais torta. Fiz o que sempre fiz, confio nos médicos que escolho e até agora não me tenho saído mal.

Por isso resolvi fazer de outra maneira, contar antes todas as coisas que niguém me disse sobre a maternidade e que agradecia que o tivessem feito.

Os bébés choram é sabido. E às vezes choram só para libertar o 'stress', precisam de chorar e depois acalmam. Nem sempre é fralda, fome, frio ou calor. Muitas vezes não foi isso.

Que o amor por ele não chega quando fazemos o teste de gravidez nem quando ele nasce... vai chegando todos os dias mais um bocadinho, mesmo quando achamos que já não podemos gostar mais dele. (Esta eu agradecia mesmo que me tivesse dito!)

A intuição começa a funcionar ao fim de 3 semanas. A intuição e o conhecimento mútuo. Ou seja, ao fim de 3 semanas, a mãe consegue adivinhar facilmente o que ele tem e o que quer. E quase sempre ligamos ao pediatra apenas para confirmar o que achávamos que era. Mesmo que seja só uma birra.

Que a alegria pela chegada de um filho e de um neto, é tão grande, tão grande, que só ao fim de uns dias se percebe e nos questionamos 'como era possível viver sem ele?'.

Que às vezes durante a licença de maternidade não queremos fazer nada, nem sair nem ir passear, apenas ficar ali com ele. E mais importante, que isso não é um sinal de depressão, antes pelo contrário!

De resto só posso dizer que foram os melhores e mais intensos dias da minha vida.

De regresso ao trabalho, so far so good. E uma pequenina parte de mim que acha que é muito bom estar de volta!

sexta-feira, outubro 02, 2009

Nós vamos aproveitar os últimos dias de calor.




Aqui e aqui.

Nunca me vou cansar de fazer shopping online!

Sou eu que escolho, sou eu que pago, sou eu que arrisco nos tamanhos e nas cores e nos tecidos, sou eu que sei que as fotos enganam e que por vezes na mão as coisas são completamente diferentes, mas mesmo assim é uma excitação quando as caixas chegam cá a casa. Hoje chegaram montes de coisas giras, para mim e para ele, da nossa marca preferida. Só o pai é que ainda não se convenceu!

segunda-feira, agosto 24, 2009

Mes premières vacances.

Dizem que nas férias se descansa, mas se calhar estas não me estão a saber a férias porque eu já estou em casa desde Abril... Nestas férias não se descansa. Na 1ª semana estivemo-nos a ambientar, uma semana para isso tudo é muito. Criar rotinas, que é como quem diz repetir as rotinas que o bébé já tinha de Lisboa, mas que os 300 km fizeram com que se esquecesse. Na segunda semana fizemos visitas, passeámos e fomos com o bébé a casa da familia e amigos que moram por aqui, fomos aos hoteis passar o dia com os que estavam de férias, etc. Passou-se. Na 3ª semana decidimos que ele ainda só tinha ido á piscina e que se calhar o ar do mar também lhe fazia bem. Assim foi. Praia com ele. E um rol de outras coisas incluídas: temos um bébé mais cansado à noite é certo, e com um nariz menos entupido, mas...

É mais ou menos assim: Arruma a mala dele, não te esqueças das fraldas, do biberon da àgua, das xuxas suplentes, da fralda de pano, da mantinha, do babete, do 'canguru', do chapéu dele, da muda de roupa (porque tudo pode acontecer), ok das 2 mudas de roupa, dos óculos de sol, de o vestir de branco, do protector (que entretanto já espalhámos pelo corpo todo, etc. Com tudo isto corremos o risco de nos esquecermos da nossa toalha, do nosso protector, do nosso chapéu, da nossa água, etc... Ele vai no ovo, chegamos à praia sai do ovo, vem para o canguru, põe o chapéu, olha a xuxa que caiu, olha que está virado contra o sol, está a fechar os olhos põe-lhe os óculos, traz os sacos, e lá vamos pela areia, novamente 2 em 1. Senta estende o colchão, a toalha, deita o bébé, olha quer água, tira-lhe o chapéu aqui está sombra, cuidado já pôs a mão na areia, e agora na boca, e ao fim de meia hora dispo-me e sento-me ao sol. 1 minuto no máximo, fartou-se já não quer estar deitado, quer estar sentado (3 meses!!!), e com as mãos na boca, não, não tem fome, é mesmo assim, e toma o brinquedo, já não queres este, e este queres? podíamos levá-lo à água, faz-lhe bem, troca a fralda pela da àgua, despe o bébé, desce até à água molhamos os pezinhos, ele gosta, lavamos-lhe o nariz, ele não gosta, chora, olha o avião que giro Manel, olha que giro, molhamos outra vez os pés e voltamos à base.

Mas estas são as melhores férias, as mais cansativas, mas também as mais felizes. Não trocava por nada. Férias? Talvez, quando ele tiver 18 anos, EH! EH!

quinta-feira, julho 30, 2009

Manelinho News

Ah, e para aqueles que só me seguem a partir daqui, e não daqui ou daqui, a falta de posts prende-se com a indecisão de colocar ou não uma password no blog, pois se por um lado a falta de segurança me diz que é melhor, por outro, na minha opinião, perde a função de blog, não?

Mas está tudo bem sim, tudo óptimo, cada dia melhor.

Para saberem mais novidades ou verem fotos do manelinho, mailem-me.

Chama-se 'tirar nabos da púcara'

Irrita-me pessoas que ligam a perguntar uma coisa, mas na realidade querem saber outra, que dizem frases com meias palavras, que aproveitam o facto de eu ser uma faladora nata para saberem demais, resumindo odeio que tentem 'tirar nabos da púcara'. E adoro esta expressão!


O problema vai ser traduzir isto, mas isso já não é comigo, EH! EH!

domingo, julho 12, 2009

O Homem nu

Há muito tempo que não me ria tanto....

quarta-feira, maio 20, 2009

Já chegou. Já nasceu. Já estamos em casa. Já não temos contracções. Já não vomitamos. Já não ansiamos pela chegada. Já não dormimos de lado. Já não fazemos xixi de 15 em 15 minutos. Já mudamos fraldas. Já usamos o berço, o carrinho, a alcofa... Já namoramos. Ele connosco e nós com ele. Muito. Já ficamos horas a olhar para ele. Já fez uma semana e continuamos embevecidos.

Estamos felizes. Muito.

segunda-feira, maio 11, 2009

1º Dia

A principio é simples, anda-se sozinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado, que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vazia
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.

terça-feira, abril 28, 2009

E quase às 38 semanas

Ainda por aqui. Ainda 2 em 1.

Ao que parece vamos-lhe dar tempo para decidir quando quer nascer, e ao que parece é para muito breve, mas ainda não quis, e ele é que sabe.

Dos bébés dos amigos previstos para as mesmas semanas, a 1ª flor já nasceu. Bem vinda Margarida.

A médica diz que está muito para baixo, a hidro e o pilatos estão a fazer os seus efeitos, mas que ele ainda não se decidiu. Enquanto isso desdobro-me entre as insónias nocturnas e o excesso de sono diurno, os xi-xis nocturnos de 3 em 3 horas que segundo dizem são já sinais de quem muito em breve haverá que se acordar de qualquer forma de 3 em 3 horas.

Estamos ansiosos, não pelo dia em si, mas por o termos nas mãos. E por voltarmos os 3 para casa. E aí sim, apertar-lhe os refegos, decorar-lhe as formas e namorá-lo.

Hoje foi dia de CTG, um coração óptimo e um registo normal de contracções (!).

Manelito, quando achares bem, nós também vamos achar.

segunda-feira, abril 13, 2009

Monstros verdadeiros.

Uma das melhores ideias que vi nos últimos tempos: construir bonecos de pano iguaizinhos aos dos desenhos deles.

Ficam 2 questões:

Não serão estes os bonecos preferidos deles?

E porque é que quase todos os bonecos que se vendem hoje em dia têm 2 olhos, duas mãos e são simétricos?

quinta-feira, abril 02, 2009

Misto de...

Uma semana confusa, cheia de to do's, com listas intermináveis de coisas para fazer antes de e a seguir a, faxes por enviar, mails por deixar em draft, backups por fazer. Sinto-me como se me fosse embora, pelo menos sinto-me como se voltasse em Outubro para um novo emprego, nova direcção, novas instalações.... as mudanças são boas e neste caso até se podem tornar oportunas, a ver vamos.
Tristeza por ir, e uma alegria enorme pelo que me está a contecer. É um misto enorme.
A ver vamos.

sexta-feira, março 20, 2009

E quase às 33 semanas


o peso dele é de 8 pacotinhos destes, 2 kg de gente, de bébé. 8 pacotinhos de farinha 33.
O peso está normal, o comprimento está normal e as outras medições todas também. Tudo uma normalidade, confirmou ontem o tio Nuno.

E ainda bem.
Saimos satisfeitos com a posição, mas cada vez mais ansiosos, porque já o queríamos cá fora, mas preferimo-lo dentro do tempo certo, é certo.

Pesa-me a barriga ainda que continue a ser um espanto para todos os poucos kg que engordei, apenas uns 8 pacotinhos de farinha de 33. Tudo me custa mais, os movimentos estão todos mais lentos, os tempos são todos mais demorados, levanto-me mais tarde, com menos energia e demoro cada vez mais tempo a sair de casa. Tudo me demora mais. Resultado, para quem chegava ao trabalho sempre mais cedo, acabo por chegar mais em cima da hora. Valem-me os segundos horários que quase todos os meus colegas fazem e os tempos atribulados que vivemos por aqui, que retira a atenção destes pormenores. Já me dizem "falta pouco" no elevador, pessoas com quem nunca falei. Os outros , os amiguinhos, só confirmam para quando é? Pesam-me os exercícios simples de Pilatos e tudo o que cai ao chão acaba por ficar, alguém há-de apanhar. Quase sempre ele.
Pesa-me a pouca mobilidade e a falta de rapidez com que gosto de fazer tudo. Como me diziam no outro dia no curso, abrandar o ritmo é sempre bom, mesmo que já esteja lento.

Assim será.

segunda-feira, março 16, 2009

Faz de conta

que não tenho pesadelos com isto, faz de conta que não me importo que me aconteça, faz de conta que até acho que aqui não vai acontecer. Faz de conta.

terça-feira, março 10, 2009

Account

A última profissão que eu desejava ter num dia como o de hoje.

segunda-feira, março 09, 2009

Quando o sono comanda a vida

passamos o dia a fazer disparates...